Ingredientes

Alcaçuz- O milagre desta planta

Habitualmente encontrada no Sudeste Europeu e na Ásia, o alcaçuz é uma planta medicinal, também conhecida como regaliz ou raíz-doce –  uma das plantas medicinais mais antigas do mundo, sendo utilizada desde a antiguidade para tratar vários problemas de saúde, especialmente problemas de estômago, inflamação e doenças respiratórias.

Propriedades Medicinais

No que respeita à fitoterapia, o alcaçuz revela-se bastante útil a vários níveis. O princípio ativo mais importante desta planta é glicirrisina ou ácido glicirrísico, que corresponde normalmente a cerca de 6 a 10 por cento. Este constituinte confere ao alcaçuz propriedades expectorantes, antitússicas, anti-inflamatórias e emolientes.

Esta planta é também rica devido ao seu elevado teor de flavonóides que dão ao alcaçuz características antiespasmódicas, antibióticas, digestivas e cicatrizantes. O alcaçuz possui ainda vitaminas do complexo B, açúcares e resinas.

Tradicionalmente, o alcaçuz é utilizado na melhoria dos problemas digestivos, pois exerce uma ação positiva sobre o estômago, ao acalmar a acidez e anulando a sensação de enfartamento. Assim, esta planta é maioritariamente usada em todo o tipo de dispepsias, meteorismo, cólicas intestinais e biliares e gastrite. A raíz de alcaçuz é também um útil cicatrizante de úlceras do estômago e do duodeno.

Esta planta atua ao formar uma película protetora sobre a mucosa do estômago, protegendo-a da ação corrosiva do suco gástrico, beneficiando uma cicatrização mais rápida. Em casos de estomatites, os bochechos podem também revelar-se eficazes.

O alcaçuz pode ainda beneficiar em casos de afeções respiratórias, como a bronquite, tosse, afeções dos brônquios, faringite, laringite e rouquidão. Esta planta atua ao facilitar a expectoração, acalmando a tosse e desinflamando as vias respiratórias. Possui uma ação antibiótica contra as bactérias que afetam os brônquios.

Recentemente, têm sido realizados inúmeros estudos sobre esta planta quanto à sua possibilidade de auxiliar o tratamento de viroses (nomeadamente o HIV, a hepatite B e o herpes) e, também de cancro, nomeadamente da próstata. Segundo alguns autores, o alcaçuz é ainda útil nas curas de desintoxicação do tabaco porque ajuda a regenerar as mucosas respiratórias.

É necessário, porém, referir que o alcaçuz (nomeadamente o ácido glicirrísico) contém uma substância esteróide que estimula as glândulas supra-renais. Por esta razão, quando ingerido em grandes quantidades ou durante grandes períodos de tempo (mais de três meses seguidos), pode produzir sintomas de hiperaldosteronismo: retenção de líquidos (edemas), enjoos, dores de cabeça, cãibras e hipertensão arterial. Assim, o consumo desta planta é desaconselhado em caso de hipertensão arterial, gravidez ou casos de tratamentos com corticóides.

Se acha que pode beneficiar das propriedades do alcaçuz, não se esqueça de que o conselho do seu médico é essencial e imprescindível.