Blog

ESPECIAL | QUANDO O ASSUNTO É SER MÃE!

Uma mãe… vê tudo e diz pouco. Ouve muito e fala pouco. Sacrifica tudo e reclama pouco. Dá tudo, mas espera pouco. Tudo o que ela quer é que os seus filhos sejam felizes. Vençam. Conquistem. Feliz Dia da Mãe. A todas as mães do mundo.

“Quando o assunto é ser mãe, as palavras mergulham na memória dos anos…

Lembro-me do conforto do teu abraço, quando acordava de madrugada com pesadelos. Lembro-me das noites em que me contavas a mesma história duas e três vezes, até a voz te falhar pelo cansaço, após 8 horas de trabalho.
Lembro-me da segurança das tuas palavras antes de entrar no exame de História: “Vai correr bem”, disseste. E correu.
Lembro-me das tuas lágrimas de alegria, quando me viste subir ao altar.
Lembro-me da ternura do teu olhar, quando viste o teu neto pela primeira vez.
Lembro-me de ti todos os dias, mesmo que não te telefone, mesmo que não vá jantar contigo.

Esta podia ser a minha história, a sua ou da sua amiga/o.
De uma maneira ou de outra, com mais ou menos pormenores, partilhamos histórias idênticas quando nos recordamos o que vivemos e sentimos com as nossas mães.
Nem sempre nos orgulhámos das nossas palavras ou das atitudes que tomámos. As desculpas podem ser muitas. Ou porque éramos crianças, ou adolescentes ou simplesmente porque estávamos cansados… Lidámos com pessoas tóxicas todo o dia e atirámos para cima dela as nossas frustrações. Não estivemos no nosso melhor. Não. Mas ela sabe.
Esquecemos que quando o assunto é Mãe, não há certo ou errado, não há verso ou inverso, porque a nossa mãe sabe quem somos e nós podemos ser nós. Sem filtros, sem rodeios. Sem medo. Para elas, somos transparentes. E na maioria das vezes, ou quase sempre, perfeitos.

AMOR INCONDICIONAL

São elas que nos inspiram, que nos motivam e que nos lembram que temos de ser melhores, todos os dias.
Se nos sentimos seguros, é porque sabemos que a nossa Mãe está cá. Ali. Perto. Ela é a nossa zona de segurança.
Sim,  deixa-nos 50 mensagens por dia e ao final da noite, quando olhamos para os registos das chamadas não atendidas, 10 são dela e uma ainda tem mensagem de voz. Pois, a nossa mãe é assim. É mãe e quer saber se estamos bem.

Os filhos discutem, argumentam. As mães ouvem e acalmam, tranquilizam. Fazem pensar melhor.

As mães são capaz de ouvir uma mentira, pacientemente, à espera que os filhos digam a verdade. E se ela não chega, fingem que ‘compram’ a mentira.
Para as mães, os filhos estão sempre em primeiro lugar. Sempre. Se houver quatro pães na mesa para cinco, uma mãe vai dizer que não gosta de pão ou, melhor ainda, que “o pão engorda”.
Se os filhos falham, elas assumem a culpa.
As mães não estão só orgulhosas dos pontos fortes dos filhos, mas também nunca têm vergonha das suas fraquezas.

As mães adoram que os filhos triunfem, mas estão sempre ao lado dos filhos quando eles fracassam. E sempre com uma palavra de incentivo. Sempre otimistas. Mesmo que elas, intrinsecamente, não o sejam.

Por tudo isto: Obrigada mães.

Um dia feliz!

 

(Créditos: Imagem DR)