Blog

PEPTÍDEOS | TONIFICAM, CLAREIAM E REJUVENESCEM

Reparam, hidratam, suavizam, clareiam, tonificam… mas o que mais atrai a indústria cosmética é a notável capacidade antienvelhecimento dos peptídeos. O poder destas moléculas biológicas naturais é, de facto, surpreendente.

O que são os peptídeos? De acordo com Whitney Bowe, reconhecida dermatologista norte-americana, “os peptídeos são cadeias de aminoácidos, blocos de construção que compõem as proteínas do nosso corpo, incluindo o colagénio”. Sem estas proteínas ver-se-á rugas, unhas quebradas e cabelos quebradiços.

Por este motivo, Deanne Robinson considera que “os peptídeos são como blocos de construção, não só para novas fibras de colagénio, mas também de elastina. “Essas fibras são os blocos de construção da nossa pele e aumentam a firmeza e a elasticidade do tecido”, explica a dermatologista e docente na Universidade de Yale.

MENSAGEIROS BIOLÓGICOS

Os peptídeos são, assim, essenciais para a estrutura e função da pele. São importantes na firmeza, textura e aparência. Os peptídeos são encontrados em todas as células humanas, explicam as especialistas, desempenham um papel importante na forma como o corpo funciona e atuam como ‘mensageiros biológicos’.

Investigadores de uma das maiores empresas dinamarquesas de biotecnologia, focada na descoberta e desenvolvimento de medicamentos inovadores baseados em peptídeos, sublinham que os peptídeos – moléculas biológicas naturais – são encontrados em todos os organismos vivos e desempenham um papel fundamental em todo tipo de atividade biológica.

“Como as proteínas, os peptídeos são formados (sintetizados) naturalmente a partir da transcrição de uma sequência do código genético, o DNA. A manutenção da concentração e dos níveis de atividade apropriados dos peptídeos é necessária para atingir a homeostasia e manter a saúde.”

EM BUSCA DA JUVENTUDE

Então, mas se os peptídeos estão no organismo porque é que precisamos de mais? A resposta é clara: porque envelhecemos. As dermatologistas explicam que após os 30 anos começamos a perder 1% por ano do colagénio que nos resta. Portanto, é só fazer contas.

Inclusive, referem, #os canais de comunicação naturais da nossa pele diminuem com o tempo”, por isso é preciso compensar esta perda que acentua os sinais de envelhecimento.

De acordo com a investigadora Dolores González de Llano – co-autora da obra Encyclopedia of Food Sciences and Nutrition -, os peptídeos incorporados em produtos cosméticos antienvelhecimento dividem-se em três categorias: peptídeos ‘sinalizadores’, peptídeos ‘transportadores’ e peptídeos ‘bloqueadores’ de neurotransmissores .

“Os peptídeos de sinal mimetizam as sequências de proteínas encontradas no colagénio e na elastina e estimulam a produção de novo colagénio e elastina. Os peptídeos transportadores atuam como veículos para outros ingredientes para auxiliar nos processos enzimáticos que aumentam a síntese de colagénio . Alguns peptídeos são fragmentados e podem bloquear a neurotransmissão, que pode levar à redução das contrações faciais, que acabariam por quebrar o colagénio e criar a aparência de rugas”, explica a médico.
A investigadora considera, assim, que a utilização de peptídeos em formulações de cuidados com a pele é ilimitado.

BENEFÍCIOS

A dermatologista Deanne Robinson também alerta para a questão dos peptídeos não serem todos iguais e enumera o que fazem. “Os peptídeos transportadores libertam minerais na pele para estimular o colagénio, enquanto os peptídeos inibidores da enzima trabalham para abrandar o colapso natural da pele do colagénio. Peptídeos de sinal enviam mensagens para diferentes partes da pele para promover colagénio, elastina e outras proteínas; e os peptídeos neurotransmissores , conhecidos como ‘tipo botox’, bloqueiam a libertação de substâncias químicas que causam a contração muscular das linhas de expressão, suavizando as rugas.”

Assim, de acordo com Dolores González de Llano, os peptídeos comuns têm como função:

  1.  diminui as linhas de expressão;
  2.  redução de rugas;
  3.  diminui papos nos olhos;
  4.  aumenta a síntese de colagénio;
  5.  diminui olheiras;
  6.  aumenta a firmeza da pele;
  7.  diminui as linhas finas.

Não será, pois, de estranhar que a introdução dos peptídeos em produtos cosméticos esteja a ser um sucesso em todo o mundo pelos resultados comprovados.

Porém, as pesquisas continuam e os cientistas estão à procura de outros benefícios destas moléculas. Um grupo de investigadores da Turquia deu a conhecer, em 2015, que peptídeos bioativos isolados de Spirulina platensis têm várias atividades biológicas, entre as quais atividade antioxidante, anti-hipertensiva, antimicrobiana, antidiabetes e atividade antiobesidade.

Os produtos de cuidados de pele e os suplementos dos laboratórios Suta Spirulina Technology, à base de Spirulina, confirmam o poder antioxidante da microalga.

 

(Créditos:Imagem DR)